O balanço é do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Desde que foram criados, há quatro anos, os vistos gold captaram 2,4 mil milhões de euros em investimento. A China é o principal mercado emissor deste novo tipo de investidores.

O balanço é do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Desde que foram criados, há quatro anos, os vistos gold captaram 2,4 mil milhões de euros em investimento. A China é o principal mercado emissor deste novo tipo de investidores. Faz este sábado, dia 8, quatro anos que o mecanismo dos vistos dourados, lançado pelo governo PSD/CDS entrou em ação. A Intenção era clara: seduzir investidores de fora do espaço da União Europeia, com a atribuição de vistos de residência em Portugal em troca de investimentos.

3669 imóveis vendidos

A grande procura centrou-se no imobiliário, com a aquisição de imóveis (3669) de valor obrigatoriamente superior a meio milhão de euros. Dos 2,37 mil milhões de euros apurados, o negócio imobiliário representa 2,1 mil milhões. Foram apenas concedidos seis vistos em troca de investimentos na economia reprodutiva, com a criação de, pelo menos, dez postos de trabalho.

Os cidadãos chineses lideram a lista dos vistos atribuídos até ao fim de setembro – 2.879. Seguem-se o Brasil (209), Rússia (136), África do Sul (124) e Líbano (60). Nestes quatro anos, o Estado português concedeu 3.888 autorizações de residência, em troca de projetos de investimento no país. O ano de 2016 é o que lidera a tabela dos vistos aprovados (1100). O recorde estava em 2014, com 1526 – em 2015 a concessão caíra para metade (766).

Fonte: Expresso, 07.10.2016

Pin It on Pinterest